Centro de Oncologia

Agende sua
Consulta

×
  • >
  • BLOG


nosso blog

29/07/2022 09:07

Câncer de pâncreas: o que é preciso saber sobre ele

O câncer de pâncreas é um dos tipos mais temidos, devido à sua agressividade e letalidade. Conforme dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), no Brasil, ele equivale a 2% de todos os diagnósticos de neoplasias, além de ser responsável por 4% do total de mortes causadas pela doença.

 

Isso porque, em muitos casos, por não apresentar sintomas específicos, os tumores pancreáticos são diagnosticados em estágios avançados, fazendo com que o tratamento acabe se tornando mais invasivo e com taxas de cura reduzidas.

 

Pensando em esclarecer diferentes aspectos sobre a doença, para que mais pessoas estejam atentas a ela, conversamos com o cirurgião oncológico com foco no tratamento de tumores digestivos, Dr. Marciano Anghinoni. Acompanhe o conteúdo e saiba mais.

 

O que é o câncer de pâncreas

 

Localizado na parte superior do abdômen (atrás do estômago), o pâncreas é uma glândula que tem a função de produzir insulina e enzimas digestivas, desempenhando papel importante no sistema endócrino e na digestão dos alimentos.

 

O câncer de pâncreas ocorre quando há crescimento desordenado e acelerado das células pancreáticas, sendo mais comum em pessoas a partir de 60 anos de idade. 

 

Tipos da doença

 

O câncer de pâncreas ocorre na porção exócrina (que auxilia no processo de digestão dos alimentos) do órgão. O tipo mais prevalente é o adenocarcinoma ductal, que se origina no tecido glandular e é o mais agressivo. Ou seja, tem capacidade de se disseminar rapidamente. Ele corresponde a 90% dos diagnósticos e atinge, principalmente, a cabeça do pâncreas, localizada do lado direito do abdômen.

 

Apesar de o adenocarcinoma geralmente ter origem nos ductos pancreáticos, pode surgir também nas células que produzem as enzimas pancreáticas, chamados carcinomas de células acinares. Os tipos mais raros de neoplasias exócrinas incluem:

 

- carcinomas adenoescamosos;

- carcinomas de células escamosas;

- carcinomas de células em anel de sinete;

- carcinoma indiferenciado de células gigantes;

- carcinomas indiferenciados.

 

Além desses, existem outros tumores pancreáticos, bem mais raros, chamados tumores neuroendócrinos.

 

Fatores de risco para o câncer de pâncreas

 

Os principais fatores de risco para o câncer de pâncreas são:

 

- tabagismo;

- obesidade;

- diabetes;

- inflamação crônica do pâncreas;

- consumo excessivo de bebida alcóolica;

- histórico familiar;

- síndromes genéticas.

 

Apesar destes fatores elevarem as chances para a doença, todos estão sujeitos a terem tumores no órgão, por isso é fundamental estar atento.

 

Sintomas mais comuns

 

Normalmente o câncer de pâncreas é uma doença silenciosa, apresentando sintomas apenas em sua fase avançada. Porém, é preciso ter atenção aos seguintes sinais:

 

- icterícia (pele amarelada);

- dor abdominal ou nas costas;

- perda de peso sem causa aparente;

- falta de apetite;

- náusea;

- vômito;

- diarreia;

- fraqueza;

- urina escura;

- fezes de cor mais clara.

 

Apesar de, na maioria dos casos, estes sintomas indicarem patologias benignas, é sempre importante procurar um médico caso sejam frequentes.

 

Como são feitos o diagnóstico e tratamento

 

Para ter melhores resultados com o tratamento do câncer de pâncreas, é de suma importância o diagnóstico precoce, que ocorre, geralmente, quando o paciente percebe e dá atenção a sintomas como os citados.

 

Com a suspeita da doença, é realizada a investigação clínica, por meio de exames laboratoriais e de imagem, como tomografia computadorizada, ultrassonografia ou ressonância magnética.

 

Já o tratamento depende de diversos fatores, como o tamanho do tumor, o estado geral de saúde do paciente, idade e o estadiamento da doença, ou seja, se está localizada ou já se disseminou para outros órgãos.

 

Os protocolos de tratamento incluem cirurgia, radioterapia e quimioterapia, em conjunto ou isoladas conforme o caso.

 

O câncer de pâncreas é uma doença de tratamento complexo e, muitas vezes, os sintomas são inespecíficos, além de dificilmente diagnosticado em estágio inicial. Por isso, ao notar quaisquer sinais, é importante procurar um médico. Além disso, check-ups de rotina são um importante recursos para a detecção precoce.

 

Se este conteúdo foi relevante para você, confira agora o artigo com 8 ações importantes para prevenir o câncer!

Comentários
Comentar


Outras notícias
Titulo do blog Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Quidem vero exercitationem unde veniam reiciendis debitis, quaerat, molestiae culpa, autem provident facere at ipsa facilis animi sit vitae quam tempore aspernatur.
Leia +
Titulo do blog Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Quidem vero exercitationem unde veniam reiciendis debitis, quaerat, molestiae culpa, autem provident facere at ipsa facilis animi sit vitae quam tempore aspernatur.
Leia +
Titulo do blog Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Quidem vero exercitationem unde veniam reiciendis debitis, quaerat, molestiae culpa, autem provident facere at ipsa facilis animi sit vitae quam tempore aspernatur.
Leia +