Centro de Oncologia

Agende sua
Consulta

×
  • BLOG


nosso blog

10/12/2019

Câncer de pele é o tumor que mais acomete os brasileiros apesar das medidas simples de prevenção

Você provavelmente conhece ou conhecerá alguém que tem câncer de pele. O motivo para essa afirmação é que, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), 30% de todos os tumores malignos registrados no Brasil são desse tipo, o que equivale a cerca de 180 mil novos casos por ano. Apesar dos altos índices de cura, quase 1800 pessoas morrem todos os anos em decorrência da doença.

 

“Os percentuais de cura do câncer de pele são altos, desde que seja detectado precocemente. No entanto, o mais importante de antemão é saber se trata-se de um tipo melanoma ou não-melanoma”, alerta a Dra. Raquel Cristina Dalagnol, oncologista  do Centro de Oncologia do Paraná. "Enquanto o de não-melanoma, que pode ser dividido carcinoma basocelular e epidermoide é menos agressivo, o melanoma é mais perigoso e exige comumente radioterapia e imunoterapia", explica.

 

Por que o diagnóstico precoce é fundamental

 

A especialista afirma que quando o melanoma já se espalhou para outros órgãos, gerando metástases, é praticamente incurável na maioria dos casos. “Desse modo, o tratamento passa a ser apenas para diminuir sintomas e melhorar a qualidade de vida. Portanto, o diagnóstico precoce é essencial", afirma.

 

Pessoas de pele clara, com pintas e mais sensíveis a raios solares são as vítimas mais comuns do câncer de pele. Nesse sentido, estações mais ensolaradas como a Primavera e o Verão tendem a ser as mais perigosas para adquirir a doença. “A exposição excessiva é a principal causa”, diz Raquel. “A radiação ultravioleta é a maior responsável pelos tumores. No caso dos carcinomas, os sintomas são equivalentes a sinais de dano solar, como enrugamento, mudanças na pigmentação e perda da elasticidade", comenta.

 

Já o melanoma, mais grave, tem a aparência de uma ou mais pintas, quase um “sinal” na pele, em tons de castanho ou preto. Como se desenvolve nas camadas mais superficiais da pele, se detectado precocemente tem até 90% de chances de cura. Ao contrário, quando atinge estágios mais avançados, torna-se mais profundo a aumenta as chances de metástase. "É importante frisar que esse tipo de tumor pode aparecer em qualquer idade. Portanto, é importantíssimo manter uma rotina de consultas com dermatologistas e a qualquer sintoma buscar auxílio médico o quanto antes", aconselha.

 

Prevenção do câncer de pele

Prevenir-se do câncer de pele é simples. “Evitar o sol no período entre 10h e 16h é o crucial”, comenta Raquel. “Fora desses horários, o sol em excesso também pode ser perigoso. Isso vale também para ambientes internos, como o trabalho, onde há predominância de lâmpadas fluorescentes”, alerta.

 

Usar sempre protetor solar com Fator de Proteção Solar (FPS) no mínimo 30 é recomendado, assim como reaplicar a cada 2h, se exposição solar intensa, se não, reaplicar duas vezes ao dia. Em locais muito ensolarados, a dica é cobrir com roupas leves as partes do corpo mais atingidas pelos raios UV, como as costas, nuca, pernas e braços.

 

Nosso artigo sobre câncer de pele, tipos e prevenção foi útil para você? Que tal conscientizar também os seus familiares e amigos? Então compartilhe agora mesmo em suas redes sociais!

 

 

 

25/11/2019

O câncer de próstata se manifesta de diferentes maneiras: entenda

Assim como outros tipos de câncer, o câncer de próstata é uma doença que se manifesta de diferentes maneiras. Enquanto alguns tumores são agressivos, de crescimento acelerado e com potencial de gerar metástases, outros apresentam doenças indolentes, que nunca desenvolverão sintomas ou trarão riscos ao paciente.

 

Após o diagnóstico, algumas características do tumor são analisadas, com o objetivo de identificar o grau de agressividade e a conduta médica mais adequada. Em geral também são levados em conta a idade do paciente, características do tumor e os valores indicados no exame de PSA no sangue. Nos casos em que a doença apresenta pouca agressividade, é possível optar por uma estratégia de vigilância.

 

Isso quer dizer monitorar o paciente constantemente por meio de exames de PSA e, caso apresentem alterações significativas, discute-se novas abordagens. Já nos casos de maior agressividade, as opções de tratamento mais comuns são cirurgia com retirada da próstata e/ou radioterapia da pelve, além de alternativas utilizando-se ondas de ultrassom e outras técnicas ablativas.

 

Evolução do tratamento do câncer de próstata

 

"O tratamento do câncer de próstata evoluiu muito nos últimos anos. Pesquisadores publicam novos estudos em velocidade admirável, enriquecendo o armamentário das drogas utilizadas no combate da doença. A hormonioterapia, quimioterapia, além de drogas de nova geração, possibilitam o tratamento mesmo em fases avançadas da doença. Além disso, a avaliação genética encontra-se em expansão, buscando individualizar o tratamento, algo como escolher qual droga responde melhor em cada organismo", comenta o uro-oncologista do Centro de Oncologia do Paraná, Dr. Antônio Brunetto Neto.

 

Quando diagnosticado precocemente, o câncer de próstata tem grandes chances de cura. Previna-se ou conscientize quem você ama! Para auxiliar no esclarecimentos de dúvidas, prevenção e diagnóstico da doença, o Centro de Oncologia do Paraná conta com um corpo clínico altamente qualificado.

 

Gostou do nosso artigo sobre o câncer de próstata? Quer saber mais sobre outros assuntos relacionados? Então curta o nosso Facebook e acompanhe as notícias!

 

 

11/11/2019

Inovações no diagnóstico e tratamento do câncer de próstata

Assim como está ocorrendo com outros tipos de câncer,o diagnóstico e tratamento do câncer de próstata vem obtendo ganhos significativos nos últimos anos. Esse tipo de tumor é o segundo que mais acomete os homens no Brasil. Quando diagnosticado em fase inicial, as chances de cura chegam a 90%. Nesse cenário, métodos inovadores estão surgindo para guiar os médicos com mais assertividade na condução dos tratamentos, assim como novos medicamentos já foram testados e aprovados para os casos de doença metastática e resistente à castração.

25/10/2019

Avanços no tratamento do câncer de mama

Hoje há inúmeras pesquisas envolvendo o tratamento do câncer de mama. Segundo a Dra. Emanuella Poyer, oncologista clínica do Centro de Oncologia do Paraná, para o futuro as tendências são relacionadas a muitas novas moléculas, como imunoterapias, terapia-alvo, entre outras, que estão sendo testadas, e estudos em andamento para o aumento da sobrevida das pacientes com câncer de mama metástico. Clique e saiba mais.