Centro de Oncologia

Agende sua
Consulta

×
  • >
  • BLOG


nosso blog

18/12/2020 12:12

Cirurgia micrográfica de Mohs: conheça a técnica utilizada no tratamento do câncer de pele

O câncer de pele é o mais frequente na população brasileira, sendo o carcinoma basocelular e o carcinoma espinocelular os mais prevalentes. A escolha do tratamento depende de alguns fatores, como o subtipo do câncer de pele, a localização e as características microscópicas. De acordo com recomendações da NCCN (National Comprehensive Cancer Network), organização que faz os guidelines para o tratamento dos mais diversos tipos de câncer, quando localizados no rosto, os subtipos citados têm como primeira indicação de tratamento a cirurgia micrográfica de Mohs.

 

Para explicar sobre o procedimento, vantagens em relação à cirurgia convencional e para quais casos a cirurgia de Mohs é indicada, conversamos com o dermatologista do Centro de Oncologia do Paraná, Dr. Felipe Cerci. Confira e saiba mais sobre o assunto!

 

O que é a cirurgia micrográfica de Mohs?

 

A cirurgia micrográfica de Mohs, denominada também de cirurgia de Mohs, pode ser considerada a técnica mais precisa, efetiva e refinada para o tratamento dos subtipos mais frequentes do câncer de pele, o carcinoma basocelular e o carcinoma espinocelular.

 

O procedimento se difere dos demais porque avalia 100% das margens cirúrgicas durante a cirurgia, apresentando altas taxas de cura. Além disso, como apenas a pele acometida é retirada, resulta em menores cicatrizes.

 

Na prática, o médico remove o tumor e faz avaliação microscópica das margens cirúrgicas imediatamente após sua remoção. O preparo das lâminas microscópicas leva cerca de 50 minutos. Caso alguma “raiz” fique no paciente, novo fragmento de pele é retirado exatamente no local afetado, até que o tumor seja removido por completo. A técnica permite que a cirurgia se inicie com uma pequena margem (1-2 mm) ao redor do tumor, o que preserva a pele sadia e reduz a cicatriz.

 

Por sua vez, quando é realizada a técnica convencional, é necessário remover uma margem de segurança maior, de 4 a 6 mm ao redor do tumor. Isso ocorre por dois motivos: a análise das margens é realizada dias depois da remoção e o exame das margens é por amostragem (cerca de 1% delas são avaliadas). Por essas razões, a cirurgia convencional gera cicatrizes maiores e possibilidade de o paciente precisar passar por outros procedimentos, nos casos em que células doentes permanecem no organismo.

 

No Brasil, a cirurgia de Mohs ainda é pouco difundida, porém há décadas é realizada em larga escala em países como os Estados Unidos, Canadá, Austrália e alguns países da Europa, graças à eficácia comprovada por inúmeras pesquisas científicas.

 

Para quais pacientes a cirurgia de Mohs é indicada?

 

De acordo com o American College of Mohs Surgery e a NCCN, são candidatos ao procedimento os carcinomas basocelulares ou espinocelulares com as seguintes características:

 

  • localizados na face, principalmente ao redor dos olhos, boca, nariz e orelhas;
  • mal delimitados clinicamente;
  • recorrentes, ou seja, que voltaram após o tratamento;
  • histologicamente mais agressivos (por exemplo, carcinoma basocelular infiltrativo);
  • incompletamente excisados, o que significa que não foram removidos por completo anteriormente.

 

É importante frisar que apenas uma das características citadas já é o suficiente para a indicação da técnica, a qual deve ser realizada por dermatologistas com intenso treinamento em dermatopatologia e técnicas de reconstrução cutânea, como é o caso do Dr. Felipe.

 

O especialista afirma que, de maneira geral, a técnica é mais indicada para tumores localizados na face. A cirurgia de Mohs também pode ser usada para formas mais raras de câncer de pele.

 

Depois de ler o nosso conteúdo, o funcionamento da cirurgia micrográfica de Mohs ficou mais claro para você? Quer saber mais sobre esse e outros assuntos relacionados? Então acompanhe as nossas redes sociais!

 

Comentários
Comentar


Outras notícias
Titulo do blog Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Quidem vero exercitationem unde veniam reiciendis debitis, quaerat, molestiae culpa, autem provident facere at ipsa facilis animi sit vitae quam tempore aspernatur.
Leia +
Titulo do blog Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Quidem vero exercitationem unde veniam reiciendis debitis, quaerat, molestiae culpa, autem provident facere at ipsa facilis animi sit vitae quam tempore aspernatur.
Leia +
Titulo do blog Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Quidem vero exercitationem unde veniam reiciendis debitis, quaerat, molestiae culpa, autem provident facere at ipsa facilis animi sit vitae quam tempore aspernatur.
Leia +