Centro de Oncologia

Agende sua
Consulta

×
  • >
  • BLOG


nosso blog

21/07/2019 11:08

Prevenção do câncer colorretal

O câncer colorretal (CCR) apresenta-se como um tumor maligno frequentemente diagnosticado no mundo e é responsável por cerca de 12% das mortes relacionadas ao câncer de modo geral. O risco acumulado de desenvolvimento de CCR ao longo da vida é de 6%. Na região Sul do Brasil, excluindo-se os cânceres de pele do tipo não-melanoma (carcinomas baso e espinocelular), é o terceiro tipo de câncer mais frequente entre os homens e o segundo entre as mulheres de acordo com estimativas do Instituto Nacional do Câncer para o ano de 2018.

Sabe-se que a maioria dos casos de câncer do intestino grosso provém dos pólipos (adenomas) e, portanto, sua identificação e remoção, através da colonoscopia, possibilitam redução considerável no número de mortes relacionadas a esse tipo de câncer.

 

Rastreamento: conceito

O rastreamento é definido como a investigação de pessoas assintomáticas (sem sintomas), a fim de classificá-las em alta ou baixa probabilidade de desenvolver uma doença.

Verifica-se que o câncer colorretal é uma doença elegível para o rastreamento, pois tem alta prevalência (elevado número de casos), pode ser detectado em fase pré-maligna e é passível de ser curado.

 

Populações de risco para o câncer de colorretal

O risco é determinado por fatores genéticos e adquiridos ao longo da vida.   Estrategicamente, os indivíduos são divididos em duas populações:  as de risco médio e risco alto. A população de risco médio é composta por indivíduos sem sintomas, de ambos os sexos, com idade igual ou superior a 50 anos, sem outros fatores de risco. A população de risco alto é subdivida em duas categorias: risco aumentado e alto risco propriamente dito. Os indivíduos de risco aumentado são aqueles que: 1) possuem antecedente de pólipos; 2) possuem antecedente de cirurgia curativa para tratamento do câncer colorretal; 3) possuem história familiar de câncer colorretal ou pólipos. Os indivíduos de alto risco são aqueles que: 1) encontram-se sob risco elevado em função do histórico pessoal de doença inflamatória intestinal (retocolite ulcerativa/doença de Crohn do intestino grosso) de longa duração, ou seja, com mais de 8 anos; 2) encontram-se sob risco elevado em função da presença ou suspeita de síndromes hereditárias (polipose adenomatosa familiar e câncer colorretal hereditário não-polipose).

É de grande importância o estabelecimento de populações de risco, a orientação sobre a idade de início do rastreamento e a definição dos intervalos de tempo para a repetição do procedimento escolhido no rastreamento.

O procedimento mais realizado e mais completo para o rastreamento do câncer colorretal é a colonoscopia, que pode investigar toda a extensão do intestino grosso (cólon e reto), além de propiciar no mesmo momento a retirada de pólipos e outras lesões.

 

Quando iniciar o rastreamento para câncer de colorretal?

De maneira geral recomenda-se que o rastreamento por colonoscopia seja iniciado aos 50 anos, idade em que se atinge o risco médio para o desenvolvimento dessa neoplasia maligna. Entretanto, indivíduos com histórico familiar (parentes de 1° grau) de câncer colorretal, via de regra, devem rastreados aos 40 anos ou 10 anos antes do caso mais precoce da família (aquele diagnosticado com a menor idade). Em famílias consideradas portadoras da Síndrome de Lynch – cujos critérios consideram: três ou mais familiares diagnosticados com câncer de intestino; um dos quais é parente de primeiro grau dos outros dois; envolvimento de pelo menos duas gerações; um ou mais casos do diagnosticados antes dos 50 anos – o rastreamento deve se iniciar por volta dos 22 anos.

 

* Artigo escrito pelo Dr.  Esdras Zanoni, cirurgião do Centro de Oncologia do Paraná.

Comentários
Comentar


Outras notícias
Titulo do blog Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Quidem vero exercitationem unde veniam reiciendis debitis, quaerat, molestiae culpa, autem provident facere at ipsa facilis animi sit vitae quam tempore aspernatur.
Leia +
Titulo do blog Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Quidem vero exercitationem unde veniam reiciendis debitis, quaerat, molestiae culpa, autem provident facere at ipsa facilis animi sit vitae quam tempore aspernatur.
Leia +
Titulo do blog Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Quidem vero exercitationem unde veniam reiciendis debitis, quaerat, molestiae culpa, autem provident facere at ipsa facilis animi sit vitae quam tempore aspernatur.
Leia +